quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A Terceira Idade e os Direitos de Personalidade






Grupo: Turma A:
Ana Clara Quintas David
Bárbara França Bossi
Carla Lamari da Silva Pereira
Lívia Carolina Silveira Costa

Local: Lar de Idosas Santa Tereza e Santa Terezinha
Rua Divinópolis, 225 - Santa Tereza, Belo Horizonte - MG /
Tel: 31 3463-0299


Desde os anos 2000 podemos notar que houve um aumento expressivo do número de idosos na população brasileira, como podemos verificar nos gráficos extraídos do site do IBGE.




A partir dessa constatação, nos interessou a pesquisa a respeito da situação na qual se encontram os idosos e, por isso, visitamos o Lar de Idosas Santa Tereza e Santa Terezinha. Trata-se de uma instituição particular, que também recebe donativos e faz parte da Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP).




Atualmente a SSVP está presente em cento e quarenta e seis países, com setecentos e vinte mil membros, sendo o Brasil o maior país vicentino do mundo. A ação desta sociedade compreende qualquer forma de ajuda, por contato pessoal, no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade do homem. A SSVP não somente procura mitigar a miséria, mas também descobrir e remediar as situações que a geram. Leva sua ajuda a quantos dela precisam, independentemente de raça, cor, nacionalidade, credo político ou religioso e posição social: daí a existência das chamadas Obras Unidas (asilos, creches, hospitais, etc.) e de Obras Especiais (Escolinhas de informática, de Costura, de Reforço, e das Vilas Vicentinas, etc).


O Lar o qual visitamos abriga dezessete idosas de diversas idades (tendo uma senhora de 106 anos!) com diferentes graus de capacidade. É bom ressaltar que todas possuem capacidade de direito, que se refere à titularidade de direitos; o grau ao qual nos referimos está relacionado à capacidade de fato, ou seja, ao exercício dos direitos. Existem senhoras que são capazes, como a Dona Carmen, que inclusive se encontra no estabelecimento por vontade própria. Outras são relativamente incapazes, como é o caso da Dona Elza, que necessita ser assistida por sua sobrinha, Elzenir. Há também idosas que estão com um estágio avançado de Alzheimer e, por esse motivo, são absolutamente incapazes, sendo representadas por algum membro de sua família.




Após entrevistarmos algumas idosas constatamos que nessa instituição são preservados vários direitos, como o direito à integridade física (repouso e saúde), a inviolabilidade moral (respeito, autonomia e liberdade religiosa), o direito ao lazer, sendo que, apesar de algumas senhoras preferirem estar em sua casa de origem, a maioria se encontra satisfeita e feliz com o atual lar. O ambiente se mostra confortável, sendo que os quartos são duplos ou triplos, havendo uma boa quantidade de toaletes. O refeitório é amplo, sendo servidas seis refeições por dia. Há também uma sala com um piano e um pátio onde as idosas podem relaxar. Uma vez por semana ocorre visita de funcionários do SUS para assistência geral, além de possuírem enfermeiras no local.


Os familiares e demais visitantes podem vê-las semanalmente, às quintas, sábados e domingos, no horário de 15 às 17 horas. Nesse Lar são promovidas diversas atividades, sejam elas coletivas ou individuais, para a integração e o exercício das idosas, como o crochê, atividades com bola e alongamentos. É também frequente a visita de grupos voluntários, como grupo de jovens, contadores de histórias e associações de moradores. Nota-se aí um respeito e cuidado com o idoso, fazendo valer o Estatuto do Idoso ( Lei nº 10.741/03) que entrou em vigor em outubro de 2003, e que ressaltou os direitos e garantias dos mais velhos.

Durante nossa visita, conversamos com a fisioterapeuta Lívia, que é uma das responsáveis pelos bons cuidados com as senhoras. Percebe-se grande empenho e paixão pelo trabalho, uma vez que, além de ser contratada por familiares para zelar por algumas idosas, ela também reserva duas horas de serviço diariamente para trabalho voluntário no local.


O respeito aos direitos de personalidade dos idosos é essencial na atual sociedade, que envelhece cada dia mais e que busca, além dos direitos formalmente garantidos, a real efetivação deles, sendo importante que cada um tenha a consciência que a Terceira Idade é um estágio da vida pelo qual todos provavelmente passarão.














Nenhum comentário: